Encontrando tesouros no Age of Magic, um RPG graficamente rico

Mudar para a Unity ajudou a Playkot a atingir novos mercados de jogos e a incentivar o impressionante crescimento da empresa

Playkot – Um estudo de caso do desenvolvedor Unity

Como um empresário e um desenvolvedor de software trabalhando em uma mesa de cozinha improvisada em São Petersburgo, Rússia, passam a produzir sofisticados jogos sociais e RPGs para dispositivos móveis com alguns dos melhores gráficos do setor? Conheça Sasha Pavlov e Oleg Sysoev, que fundaram a Playkot Games em 2009. Desde então, eles expandiram a equipe para mais de 150 indivíduos, combinando cuidadosamente as pessoas certas, adotando a Unity e implementando as estratégias corretas para capturar uma fatia significativa do mercado no mundo todo.

O projeto

Transição do Flash para uma plataforma de desenvolvimento mais robusta

O objetivo

Produzir um RPG para dispositivos móveis graficamente rico e de alta qualidade

Plataformas

iOSAndroid e web

Equipe do projeto

12 para Age of Magic durante a produção

Empresa

Mais de 150 funcionários

São São Petersburgo, Rússia Chipre (sede)

Os dois fundadores da Playkot começaram no VKontakte, “o Facebook russo”. O VK, lançado em 2007, ganhou popularidade rapidamente e teve mais de 4 milhões de usuários em meados de 2009, quando abriu seu sistema de pagamento para aplicativos. Sasha e Oleg viram que a tendência das redes sociais estava explodindo e que não poderiam perder essa oportunidade. Nenhum dos dois tinha experiência em jogos, mas os dois tinham imaginação, e Oleg conhecia um pouco de Flash. Então, eles ficaram acordados até tarde da noite e criaram seu primeiro jogo.

O trabalho de uma noite leva a milhões de jogadores

Como era de se esperar, o primeiro esforço deles não funcionou tão bem assim. Mas em uma semana, eles corrigiram os erros e publicaram outro jogo que imediatamente atraiu jogadores pagantes. Como o fluxo de receita continuou, eles adicionaram recursos e começaram a trabalhar em um novo jogo. Em agosto de 2010, a VK cresceu e alcançou quase 10 milhões de usuários quando a Playkot foi lançou o Club Life – atraindo 2,3 milhões de jogadores – mais de 20% de todos os usuários do VK – depois de apenas um mês.

Como a Playkot continuou a crescer com títulos, como SuperCity, e se tornou um dos 20 maiores fabricantes de jogos do Facebook por receita, eles escolheram a Unity para fazer a transição das plataformas de dispositivos móveis (o SuperCity Mobile é feito com a Unity) e continuar desenvolvendo jogos sociais e casuais até que descobriram um sucesso ainda maior com o RPG de alta qualidade, o Age of Magic.

Os resultados:

  • O maior foco em arte e design de jogos da Unity permitiu que eles alocassem mais recursos nessas áreas e menos na solução de problemas
  • Aumento na receita média por usuário (ARPU)
  • Acesso a um grupo global de talentos de desenvolvedores da Unity
  • Portabilidade mais rápida para diversas plataformas móveis
  • Gráficos de jogos de alta qualidade renomados

Não apenas uma moda passageira

A evolução do Playkot é similar à de muitos desenvolvedores baseados em Flash. Em 1996, a FutureSplash Animator (ou “Flash” antes de ser adquirida pela Macromedia) permitiu que os designers criassem animações baseadas em vetores em uma linha do tempo básica. Era uma ferramenta relativamente fácil, e os desenvolvedores da web podiam embutir animações simples usando um visualizador multiplataforma.

O Flash foi, com certeza, a principal ferramenta de desenvolvimento da Playkot quando eles contrataram Aleksey Guk, seu primeiro diretor de arte, em 2011. Naquele ano, foram lançados o Pioneers e o SuperCity, assim como seu primeiro trabalho não Flash para dispositivo móvel: um jogo de dados, Farkle Live para iOS e Android.

De acordo com Guk, um dos segredos para o sucesso da Playkot é seu ambiente criativo democrático. “Meus colegas podem transformar qualquer ideia em realidade se ela for boa o suficiente. Ela não precisa vir do diretor de arte ou de um líder – basta ser parte da equipe para ser ouvido.”

A popularidade dos dispositivos iOS e a rejeição da Apple com relação ao Flash foram significativas para a Playkot e para a maioria dos outros desenvolvedores de jogos. HTML5, CSS e JavaScript eram tecnologias web cada vez mais importantes, e os fundadores da Unity desenvolveram versões iniciais de seu mecanismo de jogos no Mac OS.

Sasha e Oleg reconheceram a importância do VK e das redes sociais emergentes. Dessa vez, eles reconheceram a enorme oportunidade que surgia nos jogos para dispositivos móveis.

Dando o salto para dispositivos móveis

Em 2012, os dispositivos móveis representaram 18% do mercado de videogames; até 2021, serão quase 59%, de acordo com o Relatório do Mercado Global de 2018 da Newzoo. Antecipando de maneira acertada essa mudança, a Playkot apreciou o desafio de desenvolver para plataformas móveis. Com seus jogos sociais do Facebook, como o SuperCity, eles desenvolveram uma experiência considerável em escalar servidores e lidar com centenas de milhares de usuários simultâneos, e o mercado móvel exigia novas habilidades.

De acordo com Roman, “com ambientes de dispositivos móveis, o maior desafio está no ritmo e nos controles – é uma mentalidade diferente dos aplicativos para desktop.” Felizmente, para criar o Age of Magic ele pode encontrar o talento certo nos lados artístico e técnico a fim de atingir seu objetivo: um grande jogo com gráficos fantásticos. “Nossa equipe conta com muitos ‘mágicos’. Nada é impossível para eles. Se eu vir um muro de tijolos, eles simplesmente dizem ‘sem problema – passaremos por cima ou através dele se for necessário!’”

Botando fé na Unity

Mudar para dispositivos móveis significou mudar para um novo mecanismo de desenvolvimento. O mercado de dispositivos móveis era extremamente rápido e competitivo, então, a Playkot precisava de uma ferramenta que pudesse gerar protótipos para testes rapidamente, além de publicar código de nível de produção para diversos dispositivos móveis. As equipes de desenvolvimento conheciam os riscos de fazer mudanças radicais como essa, e Sasha e Oleg tiveram que aliviar suas preocupações.

Depois de lembrar à equipe que, primeiramente, ele era um empresário e não um desenvolvedor, Oleg contou que sua primeira consideração foi: “é um esquema honesto e óbvio: pagamos uma taxa de licença e, se começarmos a ganhar milhões, é tudo nosso, não deles”. Em segundo lugar, Oleg ressaltou que o considerável grupo de desenvolvedores da Unity (seis milhões em todo o mundo) facilitaria muito a busca pelos melhores talentos. Em terceiro lugar, Roman disse: “a Unity tem todas as ferramentas tecnológicas de que precisamos para os tipos de jogos que queremos criar. E todos nós achamos que a Asset Store, com seus milhares de recursos prontos para o jogo, vem bem a calhar”.

Estudando jogos de sucesso para dispositivos móveis

Tomada a decisão para migrar para a Unity, a equipe começou a baixar jogos para dispositivos móveis, estudando cuidadosamente os padrões UX e as características individuais. Eles cronometraram o tempo que os jogos demoravam para carregar, por quanto tempo eles se sentiam confortáveis jogando sem paradas, o período de tempo para decisão, tudo. “A Unity nos ajuda a chegar a um lugar no qual o jogador está totalmente absorvido pela jogabilidade e esquece da mecânica”, disse Roman.

Então, a Playkot contratou um líder de equipe que tinha uma vasta experiência na Unity com jogos graficamente ricos. “Ele era o cérebro, então criamos uma equipe em volta dele. Todo mundo aprendeu com ele e com seu código, e pagamos por cursos na Unity para quem quisesse”, disse Roman.

O treinamento não demorou. “Depois de aprender os conceitos básicos, eles começaram a trabalhar com atualizações e correção de bugs. Como todos os nossos desenvolvedores têm habilidades gerais boas, eles aprenderam rapidamente.”

Focando no design do jogo e nos gêneros com mais alta receita média por usuário (ARPU)

De acordo com Roman, um dos pontos fortes da Unity é o modo como ela deixa que os desenvolvedores se concentrem na arte e no design dos jogos, em vez dos aspectos técnicos. “Algumas empresas tentam criar demonstrações de tecnologia usando cada shader possível e qualquer coisa para parecer mais de vanguarda. Nós, não. Na Playkot, a arte da criação de jogos é a maior prioridade – é por isso que nós escolhemos a Unity.” Outro importante benefício foi a velocidade. “Da reunião com o artista até a libração para produção, com a Unity, podemos desenvolver um personagem em quatro semanas, com teste e desenvolvimento completo de todas as animações e efeitos visuais. Isso é bem rápido se considerarmos o nível de qualidade que temos.”

Em 2014, o SuperCity, feito com Flash, ganhou o prêmio de melhor jogo novo do Facebook, e o SuperCity Mobile, lançado em julho de 2017, tornou-se o primeiro jogo da Playkot feito com a Unity. Mas, vale repetir, Sasha, seu CEO, estava observando as tendências e não o status quo. Roman disse: “jogos sociais casuais captam muitos jogadores, mas eles não estão necessariamente comprometidos com determinado jogo. Com jogos estratégicos de RPG, há menos jogadores, mas eles são muito mais intensos e tendem a gastar muito em sua jogabilidade. Gostamos muito de gráficos realmente sofisticados, então queríamos criar jogos que mostrassem isso e também queríamos atingir esses jogadores leais e intensos – por isso, optamos por diversificar.”

Essa mudança fundamental também ajudou a Playkot a melhorar sua receita média por usuário (ARPU).

Nasce o Age of Magic

O produtor de jogos Roman Zorin vem trabalhando em “um mundo dividido pela magia” desde que ele estava na escola. Na Playkot, ele desenvolveu um protótipo de MMORPG (jogo de RPG on-line multijogador massivo, em inglês massively multiplayer online role-playing game), Portal, que ele disse ser “ambicioso, em larga escala e radical – e ninguém no Playkot gostou disso”. Ele estava convencido de que os elementos básicos do jogo eram incríveis: heróis, locais, batalhas e conflitos. “Eu percebi que tinha que encontrar a combinação certa”. Depois de três hackathons internos, a equipe encontrou essa combinação, e o Age of Magic nasceu.

“Foram necessárias três pessoas durante cinco meses para preparar um plano abrangente para o projeto. Então, adicionamos mais quatro desenvolvedores e, depois dois meses, tivemos uma fatia vertical real do jogo para demonstrar o conceito gráfico”, disse Roman. A equipe cresceu para 12 pessoas e eles iniciaram produção. Foram necessários cinco meses para o lançamento restrito do jogo para teste e mais três meses para o lançamento oficial no iOS e, cinco meses depois, no Android.

A Playkot aproveitou intensamente o Cinemachine, sistema de câmera procedural unificado da Unity, durante o desenvolvimento do Age of Magic. “Nó tivemos pouco tempo para mostrar um imenso mundo mágico, integrar um enredo, gerar cenas com personagens, diálogos e animações. O Cinemachine realmente simplificou todo o nosso trabalho de câmera, o que nos deu tempo para trabalhar no ajuste preciso dos elementos de arte. Por isso que o Age of Magic é o RPG mais bonito nos dispositivos móveis”, declarou Roman.

Poucos discordam, e hoje a Playkot ostenta cerca de 7.000.000 de jogadores (1 milhão por dia). Na China, ele alcançou os Top 50, e a Playkot está conversando com algumas bem conhecidos editores chinesas sobre a continuação de seu crescimento nesse mercado. Não é de surpreender que o Age of Magic seja o jogo mais lucrativo da Playkot até o momento – o que torna fácil para este estúdio russo dinâmico e inspirador afirmar que a Unity contribuiu de maneira significativa para o seu sucesso contínuo.

Watch this video for an example of how the studio uses Cinemachine cameras in both the Game view and the Scene view.

Cinemachine no Age of Magic

Para criar muitos dos momentos verdadeiramente mágicos no Age of Magic, a Playkot implementou o sistema de câmera procedural da Unity, o Cinemachine. Partindo de diversas perspectivas e ângulos, a história se desenrola através de múltiplas lentes virtuais, carregando os jogadores para o suspense e jogabilidade emocionante. 

“Algumas empresas tentam criar demonstrações de tecnologia usando cada shader possível e qualquer coisa para parecer mais de vanguarda. Nós, não. Na Playkot, a arte da criação de jogos é a maior prioridade – é por isso que nós escolhemos a Unity.”

Roman Zorin, Producer, Playkot

Da reunião com o artista até a libração para produção, com a Unity, podemos desenvolver um personagem em quatro semanas, com teste e desenvolvimento completo de todas as animações e efeitos visuais. Isso é bem rápido se considerarmos o nível de qualidade que temos.

Aleksey Guk, Art Director, Playkot

“A Unity nos ajuda a chegar a um lugar no qual o jogador está totalmente absorvido pela jogabilidade e esquece da mecânica.”

Roman Zorin, Producer, Playkot

“A Unity tem todas as ferramentas tecnológicas de que precisamos para os tipos de jogos que queremos criar. E todos nós achamos que a Asset Store, com seus milhares de recursos prontos para o jogo, vem bem a calhar.”

Roman Zorin, Producer, Playkot

“Nó tivemos pouco tempo para mostrar um imenso mundo mágico, integrar um enredo, gerar cenas com personagens, diálogos e animações. O Cinemachine realmente simplificou todo o nosso trabalho de câmera, o que nos deu tempo para trabalhar no ajuste preciso dos elementos de arte. Por isso que o Age of Magic é o RPG mais bonito nos dispositivos móveis.”

Roman Zorin, Producer, Playkot

Asset Store da Unity

“A Unity tem todas as ferramentas tecnológicas de que precisamos para os tipos de jogos que queremos criar. E todos nós achamos que a Asset Store, com seus milhares de recursos prontos para o jogo, vem bem a calhar.” – Roman Zorin, produtor de jogos, Playkot

Um dos assets usados durante a produção foi o Vertex Dirt (Vertex Ambient Occlusion), que os ajudou a converter de oclusão de ambiente para cores dos vértices.

We use cookies to ensure that we give you the best experience on our website. Visit our cookie policy page for more information.

Eu entendi