Dando vida a ideias de jogo de forma rápida

Gameloft gosta das ferramentas flexíveis Unity para iterações rápidas.

Gameloft: um estudo de caso de desenvolvimento Unity

Como colocar ideias geniais para jogos em produção de maneira rápida, transformando uma centelha em uma fogueira? Com sua equipe de cinco pessoas, o diretor de jogabilidade da Gameloft Montreal, Renaud Forestié, analisa ideias de jogos e, rapidamente, as transforma em versões tangíveis e funcionais para que os clientes possam jogar e avaliar. A equipe usa Unity para dar vida às múltiplas ideias de jogos e leva os melhor aceitos pelo público para o desenvolvimento final, publicação e marketing.

Fundada em 1999 pelo cofundador da Ubisoft, a Gameloft saltou da produção de jogos para dispositivos portáteis utilizando Java e Brew para ser a principal fornecedora de jogos para dispositivos móveis com mais de 2,5 milhões de downloads diários. O estúdio está presente em seis continentes e dentre os milhares de títulos conhecidos figuram Asphalt, Modern Combat e o grande sucesso Disney Magic Kingdoms.

O projeto

Criar variações funcionais de ideias de jogos para avaliação

O objetivo

Criar um ambiente acolhedor para o desenvolvimento de um novo jogo

Plataformas

iOS and Android

Equipe do projeto

6 desenvolvedores Unity em Montreal, Canadá

Empresa

Mais de 6.000 funcionários

Sede: Paris, França

 

Ferramentas flexíveis entregam um jogo que pode ser usado no primeiro dia

Similar aos estúdios de cinema, o desenvolvimento de um jogo começa com um argumento. A equipe e produtores ouvem as diversas ideias de jogos dos designers (chamados “visionários” na Gameloft), escolhem alguns projetos e distribuem os recursos. De acordo com Forestié, “alocamos entre duas a três semanas por projeto e, para cada um, criamos diversas iterações.” Eles frequentemente apresentam algo jogável ao final do primeiro dia e algo que seja possível testar ao final da primeira semana.

“Tentamos criar compilações significativas que despertem reações como 'Nossa, que interessante!', onde podemos obter dados objetivos como retenção do usuário e quantidade de vezes que o jogador inicia o jogo. As compilações chegam nas mãos dos jogadores muito rapidamente.” No ano passado, sua equipe concluiu mais de 30 projetos com 1 a 5 compilações cada. Destes, 12 foram aprovados para produção. Forestié acrescenta, “para manter este nível de produção, precisamos do Unity, e é por isso que usamos ele em todos os nossos projetos.”

Os resultados:

  • Compilações iniciais altamente funcionais para testes
  • Rápida compreensão da viabilidade técnica do jogo
  • Um conjunto de ferramentas e ambiente que asseguram que ideias fracas fracassem rapidamente
  • Uma transmissão constante de conceitos de jogos testados e prontos para a produção
Design e iterações de jogos ágeis

Colocando a experiência do jogador em primeiro lugar

A carreira e a personalidade de Forestié se encaixam perfeitamente no ritmo acelerado de seu cargo na Gameloft. Depois da universidade, ele trabalhou como programador web e diretor de arte, desenvolveu suas habilidades com Flash e trabalhou com UI/UX em diversas startups. Entretanto, essa não era a sua paixão: “criar apps para startups não era o meu negócio. Eu gosto mesmo é de criar rapidamente algo que possa refletir com precisão o que tenho em mente.” Ele encontrou um tutorial on-line, aprendeu Unity e usou suas habilidades de código, arte e UI/UX para criar jogos.

“Quando criança eu adorava brincar com Lego, jogar videogames e desenhava muitos. Agora eu uso tudo isso junto, desenho elementos básicos do jogo e monto com 'blocos de construção' do Unity para fazer jogos. É o emprego perfeito.” Sua experiência com UX é uma forte influência na Gameloft, onde ele foca no jogador. Esta é uma das razões pelas quais sua equipe se empenha tanto na criação de compilações com uma autentica experiência lúdica. “Fazemos as compilações com o jogador em primeiro lugar e, se ele tem uma boa experiência, existem grandes possibilidades de conseguirmos altas retenções e bom retorno financeiro.”

Ele sabe que iteração rápida de jogos não é para qualquer um. Grande parte dos projetos não passam da avaliação inicial, e isso é decepcionante. Entretanto, os melhores sobrevivem. Ele acrescenta, “às vezes, ao experimentarmos, descobrimos ao acaso coisas desconhecidas ou que não esperávamos. Isso é muito divertido.”

Teste de guerrilha no metrô

Quando Forestié chegou à Gameloft, sua meta era transformar ideias em testes de maneira rápida. “Precisávamos de uma ferramenta que nos ajudasse a fazer esta transição rapidamente, e não conheço ferramenta melhor que Unity para isso,” ele disse. “Ao mesmo tempo, queremos fazer um conceito de jogo realmente atraente, então não é como um protótipo padrão, só com a arte do programador para usar internamente. Buscamos um certo "Q" a mais.”

Além das avaliações internas, Forestié literalmente leva os jogos para a rua. “Faço testes de guerrilha onde dou o telefone para pessoas no metrô e espero que não saiam correndo com ele,” brinca. “Vejo como eles jogam e analiso suas expressões.” Não é um teste de jogo formal, mas dá aos desenvolvedores uma valiosa primeira impressão. Este feedback rápido, juntamente com sua ampla experiência e sua natureza autocrítica, faz com que consigam julgar se devem continuar o desenvolvimento ou “só dizemos que isso não é bom o bastante e começamos de novo.”

Criando instantaneamente a "sensação lúdica"

A equipe mantém sua própria biblioteca de feedback, baseada na API nativa do Unity, então, com alguns cliques em caixas de seleção, eles podem gerar partículas e tremores na tela, aberrações cromáticas, congelar quadros e fazer modificações na timeline, o que facilita uma poderosa sensação lúdica. Forestié define “sensação lúdica” como todo o feedback visual e sonoro que o jogo usa para dizer ao jogador que algo aconteceu. “Digamos que eu pressione o botão de gatilho, minha arma atira e vejo luzes piscando, ouço a explosão e a cena dá um tranco. Eu consigo ver e sentir tudo isso, coisas que me falam que eu disparei a arma.” Forestié acredita que estes efeitos extras fazem o jogador se sentir recompensado, e é isso que faz com que um jogo seja divertido.

Ele também considera game jams um ótimo lugar para fazer testes. E Unity é a ferramenta favorita em praticamente todas elas. “O que eu amo nas game jams é quando os jogadores fazem um "Vamos jogar" no YouTube. Eu consigo ver pessoas que nunca conheci e com quem nunca conversei antes jogarem e dizerem, ‘Ah, acho que devo passar por esta porta, devo pegar esse bônus.’ Para mim, isso é fenomenal.”

Uma caixa de ferramentas completa e um grande elenco de apoio

A Asset Store Unity tem sido um recurso importante para a Gameloft, oferecendo todo o necessário, desde personagens, ambientes e música até ferramentas de localização e faturamento. “Sempre que precisamos de algo pronto, provavelmente está disponível para venda ou gratuitamente na Asset Store,” disse Forestié. Por exemplo, Cinemachine, que é grátis, é um sistema procedural unificado para câmeras dentro do jogo que podem rastrear e compor de forma cinematográfica um alvo definido. “Cinemachine é um asset que uso frequentemente e do qual eu gosto muito. Ajuda muito nossas equipes de câmeras poder dar um zoom, ter um tremor na tela, o próprio 'ruído' que vem nativamente com Cinemachine é incrível.” ProBuilder, que inicialmente estava disponível na Asset Store mas desde o Unity 2018 é uma funcionalidade integrada, é um asset muito importante que a equipe usa para modelagem 3D.

Outro recurso importantíssimo para eles é a comunidade de desenvolvedores Unity. “Quando estamos empacados com alguma coisa difícil, sei que alguém no mundo já resolveu este problema e eu só tenho que buscar no Google.” Ele também passa muito tempo no Twitter. “As pessoas compartilham dicas e truques valiosos de Unity ali, eu poderia dizer que é umas das minhas principais fontes de informação.” Forestié frequentemente indica a outros desenvolvedores a seção Aprendizado no site de Unity, e sempre que tem um novo lançamento, busca tutoriais. “Foi onde eu aprendi quase tudo o que eu sei,” ele disse.

Por fim, com esta capacidade de publicar rapidamente em praticamente qualquer plataforma, um conjunto de funcionalidades diversas e inovadoras e a facilidade com que as equipes conseguem colaborar, Unity se tornou a principal ferramenta de desenvolvimento para Forestié e seus colegas desenvolvedores de jogos na Gameloft. A produtividade rápida de sua equipe com Unity não passou despercebida, existem rumores que a Gameloft criará no próximo ano seu primeiro jogo totalmente produzido com Unity.

Melhores práticas para design rápido de jogos

Renaud Forestié apresentou o trabalho em equipe realizado no protótipo da Gameloft na Unite LA para o delírio dos participantes. Assista a apresentação.

Usamos cookies para garantir a melhor experiência no nosso site. Visite nossa página da política de cookies para obter mais informações.

Eu entendi