Um exército de um único desenvolvedor

Como a Unity ajudou Jonathan Hawkins a criar um protótipo incrível em apenas três meses

Eclipse: estudo de caso da Unity para jogos móveis

Quando Jonathan Hawkins iniciou o estúdio White Elk em 2014, foi uma grande mudança em muitos aspectos. Afinal, ele passou de um desenvolvedor em uma enorme equipe (trabalhando na franquia God of War da Sony) para explorar o território inexplorado da VR, inicialmente por conta própria. Mas com a ajuda da Unity, Hawkins criou um protótipo para um jogo em VR em apenas três meses, o que lhe permitiu obter financiamento para o Eclipse: Edge of Light.

O jogo

Eclipse: Edge of Light, um jogo de exploração de VR em primeira pessoa para Google Daydream

O objetivo

Criar uma experiência incrível para VR em dispositivos móveis

Plataformas

Google Daydream

Membros da equipe

4

Local

Los Angeles, Califórnia

Jonathan Hawkins, fundador e diretor criativo na White Elk, explica como Unity permitiu que ele explorasse o mundo do desenvolvimento de VR móvel por conta própria.

Um protótipo de VR incrível em três meses

Quando Jonathan Hawkins, fundador e diretor criativo na White Elk, deixou a Sony Santa Monica para começar seu próprio estúdio, ficou entusiasmado com as possibilidades que se abriam para explorar o novo campo da VR. Mas ele também sabia que, para viver sua paixão, tinha que criar algo tangível com os poucos recursos que possuía.

Os resultados:

  • Produziu um protótipo em apenas três meses, o que facilitou o financiamento
  • Iterações 3–4 vezes mais rápidas com Unity do que as soluções usadas anteriormente
  • Os críticos de jogos nomearam Eclipse como uma das melhores criações em VR até o momento
  • Jogo do Ano 2017 no Daydream District
  • Melhor jogo móvel de 2017 no UploadVR

Tudo o que ele precisava

Quando Hawkins começou a trabalhar no protótipo do Eclipse, ele estava sozinho.

"Eu tinha um artista-recurso do meu parceiro, Section Studios, mas eu fazia todo o design, a programação, a implementação e o script", explica. "Por sorte, no entanto, com Unity e o conjunto de ferramentas incrível à minha disposição, pude avançar."

Ajuda extra onde ele mais precisava

Além de tudo o que já estava no Unity Editorquando fez o download, Hawkins encontrou outro recurso inestimável na Unity Asset Store.

"Quando comecei, não programava há cerca de 10 anos, voltar a fazê-lo foi um pouco difícil, mas então descobri o Playmaker na Asset Store, que tinha uma infinidade de recursos para oferecer. Basta ligar alguns nós, para codificar rapidamente um nível completo", diz ele.

Outro asset que ajudou, particularmente em termos de desempenho de VR, foi o Mesh Baker, que lhes permitiu incorporar toda a sua geometria em uma draw call.

"Draw calls podem ser um verdadeiro flagelo em VR, especialmente para jogos móveis. É essencial manter sempre uma elevada taxa de quadros para reduzir sensações de movimento desagradáveis. Poder confiar nesta ferramenta e trabalhar nela como um elemento em vez de 100 foi uma grande ajuda."

Um protótipo bem sucedido em três meses

Com a ajuda da plataforma Unity e da Asset Store, a White Elk conseguiu dar vida à sua visão criativa.

"Em apenas três meses, conseguimos fazer um protótipo completo que nos permitiu empregar seis pessoas em tempo integral e encontrar outros contratados para dar vida à nossa visão. E isso possibilitou a criação de uma experiência de jogo completa de 3 a 4 horas."

 

Otimize ao vivo e continue

Outra coisa que facilitou a exploração da VR e a percepção de sua visão criativa foi a facilidade de iteração com Unity. Durante e após a fase do protótipo, a possibilidade de ver as mudanças no editor quase instantaneamente poupou muito tempo a Hawkins.

"O Unity é fantástico para atualizações ao vivo, podendo iterar e mover-se rapidamente. No meu antigo estúdio, usamos algumas ferramentas que tinham ciclos de iteração que levavam minutos, e não segundos", explica. "Mas com o Unity, o fluxo de trabalho é incrivelmente rápido."

"Você pode movimentar os mundos, ajustar a geometria, mudar tudo, ativar e desativar os recursos visuais. Como alguém com formação em design de nível, acho isso incrível. Algo que poderia ter me levado três ou quatro vezes mais, eu consegui fazer em poucos segundos usando Unity", diz Hawkins.

 

Ajuda essencial para desenvolvimento de VR

A iteração rápida foi especialmente importante para experimentar com VR. A capacidade de alternar entre valores de ajuste no modo de edição e testá-los no modo de jogo com o headset VR significou um fluxo de trabalho muito mais suave e eficiente.

"O que eu adoro é poder ajustar todas as pequenas variáveis, como para o modelo de movimentação do jogador ou jet-packing, o que requer muito trabalho até alcançar a sensação correta, para eliminar sensações de movimento desagradáveis", diz Hawkins. "Você pressiona 'Play' e, dentro de segundos, você está no jogo. Basta colocar seus óculos e experimentar um novo mundo que você acabou de criar em minutos."

Tem que ser incrível

Além da facilidade de uso e velocidade, outro motivo pelo qual Hawkins escolheu a Unity foi por saber que poderia se concentrar primeiro em sua visão criativa, e o suporte multiplataforma lhe daria a flexibilidade necessária posteriormente.

Efetivamente, quando surgiu uma oportunidade com a emergente tecnologia Google Daydream, a White Elk aproveitou. Com a engine Unity poderiam facilmente portar o jogo completo, que inicialmente planejavam lançar para PlayStation, para o Google Daydream.

"Com o Unity SDK para Daydream, estávamos funcionando em questão de minutos. A integração perfeita nos permitiu focar na criação de algo absolutamente incrível. E isso é crítico, porque com uma tecnologia e uma plataforma completamente novas, como VR e Daydream, tem que ser incrível, caso contrário, não funcionará."

 

Está valendo a pena a experimentação criativa?

Desde o seu lançamento em 2016, Eclipse foi aclamado por usuários e críticos. Sua avaliação na loja Google Play permaneceu em torno de 4.7 ou mais, e recebeu comentários favoráveis tais como:

"Este não é apenas o melhor jogo no Daydream, mas também um dos melhores jogos móveis de VR." — Jamie Feltham, Upload VR.com

“É uma proeza extraordinária e o melhor jogo móvel de VR que já joguei. Ponto." — Sebastian Ang, DayDreamDistrict.com

 Jonathan Hawkins, Co-founder, White Elk Studios

"Como alguém com formação em design de nível, acho isso incrível. Algo que poderia ter me levado três ou quatro vezes mais, eu consegui fazer em poucos segundos usando Unity."

Jonathan Hawkins, Co-founder, White Elk Studios

Como começar a usar Unity for Mobile?

Siga este guia prático com informações e recursos que orientarão você, economizarão seu tempo e ajudarão a alcançar os melhores resultados no desenvolvimento de jogos móveis com Unity.

Usamos cookies para garantir a melhor experiência no nosso site. Visite nossa página da política de cookies para obter mais informações.

Eu entendi