O Unity ajuda com o controle de multidão em The Relative Worlds

A Craftar Studios do Japão explora os recursos 3D em tempo real do Unity para cenas complexas da multidão.

Craftar Studios: um estudo de caso do desenvolvedor Unity

Craftar’s recent feature film, The Relative Worlds, includes dramatic sequences in the world’s most populous city, but their existing rendering solution couldn’t easily handle the most complex scenes. So they turned to Unity’s real-time 3D capabilities to achieve their goals.

O objetivo

Criar cenas complexas de multidão para The Relative Worlds

Plataformas

DLP/SXRD (lançamento nos cinemas)

Equipe do projeto

Cerca de dez pessoas usando o Unity (modeladores, animadores, compositores e programadores)

Local

Tóquio

Trailer de The Relative Worlds

Os recursos em tempo real do Unity aceleraram o projeto e reduziram os custos de renderização

O principal cenário de The Relative World é Shinjuku, o icônico distrito de Tóquio repleto de arranha-céus, local da estação ferroviária mais movimentada do mundo e de muitas, muitas pessoas. Modelar e renderizar cenas extremamente complexas e repetitivas exigiu uma nova abordagem e avançados recursos de renderização; então, eles escolheram o Unity para essas sequências.

Os resultados:

  • O projeto foi acelerado ao criar e gerenciar sequências (produção em tempo real) em vez de cortes individuais (produção em cascata)
  • Cenas complexas criadas e atualizadas facilmente cheias de elementos animados com o uso de Prefabs aninhados 
  • Movimentos realistas de multidão criados com o uso do NavMesh para configurar ciclos de caminhada, com e sem pathfinding automático 
  • Custos de produção reduzidos ao fazer a renderização no Unity em vez de seu tradicional programa 3D

Mundos paralelos de animação para públicos jovens

The best science fiction enables better understanding of age-old issues. For Yuhei Sakuragi, the film’s writer and director, animated sci-fi is a powerful storytelling medium, and he’s applied it to a specific goal: awakening Japan’s youth to the fragility of peace and the specter of conflict. “Few remember what it’s like to live through a war, so youth in today’s Japan have little idea of what war is really like.” 

The Relative Worlds is a story of parallel universes: a high-school student in a relatively tranquil, colorful world confronts a doppelgänger from a dark, war-torn nightmare. Yuhei uses the stark juxtaposition to shock and awe: “I want people, especially the young, to think seriously about Japan’s future in case these relatively peaceful times suddenly come to an end.”

Configuração de cenas complexas de multidão

Since Yuhei wanted the film to reflect the real world, he chose Shinjuku for the setting as it’s one of the most iconic locations in modern Japan. This meant the team would need to draw and render large animated crowds. However, because it would be too difficult to do it with their traditional 3D software, they tapped Unity.

“We were planning to create huge and repetitive sequences such as crowded street scenes, so we knew we would need file reference and namespace options to easily load and edit our original model/rig files,” says Ken Uchida, Craftar’s lead animator. “But we didn’t have those options in our standard 3D rendering tool. To build these scenes, we also took advantage of Unity’s capabilities like nested Prefabs, relatively light scene-loading, and Navigation Mesh (NavMesh).”

In contrast to Craftar’s traditional rendering tool, Unity manages data based on assets rather than just individual shots. That allowed the team to build entire crowd sequences with nested Prefab assets, which provided them with a more comprehensive – and faster – production method. As the name suggests, nested Prefabs contain other Prefabs, which retain their links to their own assets, so any updates are reflected throughout the scene in real-time. (In Unity, a Prefab is a GameObject that includes all its components and property values, making it easy to duplicate, modify, etc.)

Mover multidões com NavMesh e aprendizado de máquina

Um dos desafios de dirigir tantos elementos animados é ditar e controlar seus movimentos, então Ken confiou no NavMesh, ferramenta integrada do Unity. “Eu usei o NavMesh de duas maneiras diferentes. Primeiro, usei-a para a maioria das tomadas da multidão que atravessava a rua. Para isso, preparei vários padrões de arquivos FBX do ciclo de caminhada e ajustei as propriedades do NavMesh para cada ciclo. Inicialmente, tentei randomizar o ciclo e a velocidade de caminhada no script, mas depois os configurei manualmente para obter um efeito mais realista.”

Eles também combinaram o NavMesh com os recursos de aprendizado de máquina da Preferred Networks para implementar ciclos automáticos de pathfinding. O aprendizado de máquina é feito pelo servidor da Preferred Networks, que foi acessado pela equipe a partir do Unity para cada ciclo de caminhada criado. A velocidade, o destino e outros parâmetros do NavMesh foram configurados diretamente no Unity.

Adicionar sombras realistas

Para refinar as cenas da multidão, a Craftar personalizou o Recorder do Unity para capturar quadros que haviam sido renderizados previamente fora do Unity. Então, eles aplicaram o Unity-Chan Toon Shader (UTS) para otimizar imagens com cel-shading, especialmente com sombras que acentuam todas as partes dos modelos do personagem. O UTS faz isso ajustando automaticamente a posição e a intensidade das fontes de luz no design do personagem. 

Para melhorar ainda mais o sombreamento, Ken acrescenta: “contamos com o recurso Timeline do Unity em conjunto com o Shader Forge. Para o sombreamento em nosso próximo projeto, estamos planejando experimentar o Shader Graph e o Visual Effect Graph.” O Shader Graph possibilita aos desenvolvedores criar facilmente shaders construindo-os visualmente e vendo os resultados em tempo real, conectando os nós em um gráfico de rede em vez de ter que escrever o código. O Visual Effect Graph cria uma ampla variedade de VFX baseados em nó e também com uma interface visual em tempo real. 

Explorar novos mundos criativos com o Unity

While Craftar only used Unity for portions of The Relative Worlds, Yuhei is sold on the platform and its deep toolset for artists and other creatives. For example, he looks forward to producing an entire animated film in Unity. “I’d really like to make something that highlights many of Unity’s unique features.”

So as well as looking forward to using Shader Graph and Visual Effect Graph, Yuhei sees the promise of Unity’s upcoming ray-tracing capabilities. “Shadows are particularly difficult to do for crowd scenes, so I can’t wait to see Unity’s new features for challenges like that.”

Finally, Yuhei sees another big advantage of using Unity for future projects. “Since Unity makes it very easy to create mixed media simultaneously, we’ll be able to produce game and/or virtual reality content at the same time we’re working on a film project.” And that perfectly reflects this innovative Japanese studio’s motto: “To create new ways of creating.” We’re excited to see what Craftar launches next.

Ken Uchida, Lead Animator, Craftar

“Para construir essas cenas, também tiramos vantagem dos recursos do Unity, como Prefabs aninhados, carregamento de cena relativamente leve e o Navigation Mesh (NavMesh).”

Ken Uchida, Lead Animator, Craftar
Yuhei Sakuragi, Writer and Director, The Relative Worlds

“Como o Unity facilita em muito a criação de mídia simultaneamente mesclada, seremos capazes de produzir jogos e/ou conteúdo de VR ao mesmo tempo em que estivermos trabalhando em um projeto de filme.”

Yuhei Sakuragi, Writer and Director, The Relative Worlds

Usamos cookies para garantir a melhor experiência no nosso site. Visite nossa página da política de cookies para obter mais informações.

Eu entendi